Proprietários de Santa Maria da Soledade

Atualização: Desde junho de 2021, o Geocolony permite associar proprietários a lotes. Portanto, desde esta data, os proprietários de que trata esta postagem já se encontram no banco de dados do site e podem ser encontrados usando o mecanismo de busca do mesmo.

Esta postagem tem o objetivo de disponibilizar uma lista de proprietários de Santa Maria da Soledade, levantada pelos colegas Adair Oberger, Marc Storms e Pedro Argenti.

Como resultado de algumas visitas ao Arquivo Histórico do RS, Adair obteve um mapa de Santa Maria da Soledade. O mapa é particularmente importante, por possuir anexada uma lista de proprietários. Presume-se que a relação de proprietários seja de ao redor de 1860.

Nem o mapa nem a relação foram digitalizados para disponibilização no FamilySearch. Aqui no site, nós já temos um mapa digitalizado de Santa Maria da Soledade, que, inclusive, é mais completo do que aquele que foi encontrado no Arquivo Histórico. Entretanto, nós não temos os proprietários. Assim, Adair, Marc e Pedro fizeram o trabalho de digitação da relação de proprietários que aparece no mapa e gentilmente disponibilizaram esta relação para publicação no site das colônias.

Desde junho de 2021, o GeoColony oferece a possibilidade de ligar proprietários a lotes em mapas digitalizados. Assim, os proprietários neta rel.

Como sei que há interessados nesta relação de proprietários e para não deixá-los esperando até que eu consiga alterar o aplicativo, estou publicando a relação em formato PDF. Assim, usando o mapa digitalizado e a relação anexa, o pesquisador poderá encontrar o lote do imigrante em questão.

A relação está organizada de acordo com os distritos que compunham a Colônia. Santa Maria da Soledade estava dividida em quatro distritos, correspondendo aos quatro sócios do empreendimento (vide postagem específica).

Para cada proprietário, a relação contém o número do lote bem como o nome e o sobrenome do proprietário. Estes dados foram transcritos do mapa.

Adicionalmente, como os autores estão especialmente interessados na imigração belga, e como nesta colônia havia vários belgas (vide este histórico), para cada proprietário é informada a nacionalidade presumida. Caso o proprietário seja um belga, é fornecido o link para o site familienaam.be, que mostra a distribuição de sobrenomes na Bélgica.

Obrigado a Adair Oberger, Marc Storms e Pedro Argenti pela pesquisa e por disponibilizar os dados no site!

Links: