Mapoteca de José Adriano Flesch

José Adriano Flesch (Juca Flesch), nascido ao redor de 1880 em Taquara, residente em Gramado e falecido em 1962 em Torres (Morrinhos), foi um agrimensor e funcionário do Estado do RS. Em Gramado, há uma praça que leva seu nome.

Juca Flesch confeccionou/colecionou vários mapas de colônias no RS, principalmente na região entre Gramado, Taquara e São Francisco de Paula.

A mapoteca de José Adriano Flesch foi legada pelo seu filho Basilides Adriano Flesch, nascido em 1919 em Taquara e contador em Porto Alegre, onde faleceu em 1988. Basilides deixou a mapoteca para seu filho, o Arquiteto Carlos Armando Flesch (*Porto Alegre, 1955), que a doou ao Engenheiro Germano Noll.

Germano Noll se incumbiu da tarefa de digitalizar os mapas e divulgá-los para bibliotecas e prefeituras. Em 2018, Germano me repassou os mapas já digitalizados em alta resolução para publicação no site.

Aqui fica um agradecimento não somente ao Germano, como também aos membros da família Flesch (José Adriano, Basilides Adriano e Carlos Armando) por preservarem estes documentos tão importantes para a história de nosso estado.

Especificamente, a mapoteca consta dos seguintes mapas:

  • Nova Petrópolis
    O mapa não está datado. Como foi de propriedade de Juca Flesch, deve ser de antes da época de atuação deste (1930-40). Os lotes estão numerados. Não contém nomes de proprietários.
    Se compararmos a disposição dos lotes com o mapa atual, veremos tratar-se de um mapa bastante preciso.
    Uma curiosidade deste mapa é via férrea que ia até Canela, passando por Gramado. Como era necessário vencer uma grande altitude em um trecho curto, os engenheiros usaram uma solução criativa, o chamado “rabicho”. Para evitar a construção de túneis que não cabiam no orçamento da obra, o trem subia de ré no trecho que recebeu a denominação de rabicho (vide história neste link externo).
  • Gramado – 1936
    Pequeno mapa que mostra a cidade em 1936.
    José Adriano Flesch era proprietário de terras na cidade. Ele assinalou suas propriedades no mapa, juntamente com a localização de sua residência.
    Além de mostrar o traçado das ruas e da via férrea, o mapa mostra a localização da igreja e de alguns prédios públicos.
    Na época, devido ao clima mais frio e ao acesso por via férrea, Gramado era uma estação de veraneio, o que é indicado pelos vários hotéis que aparecem no mapa (Sperb, Fisch, Candiogo e Bertolucci) e já prenunciava a vocação turística da região.
  • Santo Antônio da Patrulha
    Mapa de 1949, que cobre uma grande área, partindo de Santo Antônio da Patrulha e subindo para o Norte até a linha de Gramado e São Francisco de Paula.
    Alem de mostrar algumas picadas, indica os grandes proprietários. Entre estes, há os sesmeiros do início do Século 19, mas também imigrantes empreendedores que haviam comprado as terras de seu proprietários originais.
  • Caraá
    Mapa não datado, devendo ser da primeira metade do Século XX. Cobre uma faixa de colônias que começa ao Norte da cidade de Osório, onde está o Morro Borússia e sobe até a região da nascente do Rio dos Sinos.
    São mostradas as picadas e a divisão em lotes, que estão numerados. Não contém nomes de proprietários. Comparando a disposição dos lotes com o mapa atual, vê-se que o mapa é bastante preciso.
  • Três Coroas – 1959
    Na margem esquerda do Rio Paranhama, onde ficava a Colônia de Mundo Novo de Tristão Monteiro, estão demarcados os lotes. Esta mesma área aparece no mapa Mundo Novo, neste site.
    No restante do mapa, estão marcadas picadas e grandes proprietários (sesmeiros ou imigrantes segundos-proprietários).
  • Santa Cruz – Três Léguas – 1938 e Santa Cruz – Três Léguas – 1946
    Dois mapas, feitos em um intervalo de oito anos, por José Adriano Flesch.
    Os mapas são de 1938 e contêm números de lotes e alguns nomes de proprietários. A correspondência com a realidade é boa.
    Cobrem a região denominada Três Léguas, que ficava no extremo Norte do município de Santa Cruz. Na época a região era parte do IV Distrito deste município.
    Na atualidade, esta região situa-se entre os municípios de Gramado Xavier e Boqueirão do Leão.