Sobre

Este site disponibiliza o aplicativo GeoColony, que permite a visualização geográfica de mapas antigos sobre um mapa Google.

São disponbilizados dois tipos de mapas:

Mapas vetorizados

mapa vetorizado
Uma picada em um mapa vetorizado

Cada mapa vetorizado representa uma colônia. O mapa segue a organização das colônias. Normalmente, a colônia era dividida em picadas (também chamadas de linhas). Um picada era um caminho aberto na mata. Em ambos os lados da picada eram marcados os lotes coloniais, isto é, as propriedades dos colonos. Normalmente, um lote era relativamente estreito mas bastante profundo. Medidas usuais de lotes variavam de 20 a 70 hectares. A figura acima é um exemplo de uma picada com seus lotes.

Um mapa vetorizado é constituído por polígonos, cada um representando o contorno de um lote colonial. Os lotes são organizados em polígonos maiores, cada um representando uma picada. Por sua vez, as picadas são organizadas formando uma colônia.

Lotes, picadas e colônias são exibidos sobre um mapa Google, na posição aproximada de sua localização original.

Para muitos lotes, o banco de dados contém os proprietários juntamente com algumas informações referentes à posse do lote, como a fonte usada pelo pesquisador para encontrar o registro, 0 preço e a data de aquisição/concessão do lote.

O banco de dados pode ser pesquisado por vários critérios: nome do proprietário, nome da colônia e nome da picada.

Atualmente, o banco de dados comprende 24.340 lotes. Para 15.265 destes lotes, há informações sobre seus proprietários na época da imigração.

A construção de um mapa vetorizado exige um trabalho demorado e minucioso. Na sua construção foram empregadas diferentes técnicas.

O pesquisador Otavio Boni Licht partiu de mapas digitalizados. A construção do mapa envolveu desenhar diretamente no monitor, o contorno de cada lote na posição geográfica mais precisa possível.

Já o pesquisador Lauri Valdemar Krug partiu diretamente de registros de terras da região ao Norte de Montenegro. Para esta região não foram encontrados mapas antigos com qualidade aceitável. Assim, a partir da descrição de cada lote e usando seu conhecimento da região, em um trabalho minucioso, foi criando o contorno de cada lote.

Depois da construção dos mapas, foram agregadas as informações do nome da colônia, nome da picada e número a cada lote.

Na descrição de cada lote em um mapa vetorizado, são indicadas as fontes usadas para encontrar o mesmo. 

Fontes indicadas para um lote

A figura acima mostra a descrição do lote nº13, picada Travessa, da colônia de Santa Cruz. As fontes estão marcadas com dois retângulos vermelhos.

O retângulo superior lista o pesquisador que mapeou o lote (no caso, Otavio Boni Licht).

No retângulo inferior são listados os proprietários do lote. Para cada proprietário é indicada a fonte cadastral consultada, juntamente com a folha/página em que o proprietário está relacionado. No exemplo acima, o proprietário aparece nas páginas 57 (verso) e 58 do Códice F1220 do Arquivo Histórico do RS.

Para mais sobre estas fontes, veja a página referente a colônia específica na seção de mapas.

Para detalhes de como visualizar um mapa vetorizado, veja a página com os vídeos de ajuda.

Mapas digitalizados

Mapa digitalizado

Um mapa digitalizado é um mapa antigo que foi transformado em uma imagem de computador e é exibido sobre o mapa Google na posição aproximada da respectiva colônia.

O GeoColony permite visualizar o mapa digitalizado em vários níveis de aproximação. Alem disso, é possível alternar a visualização entre mapas digitalizados e mapas vetorizados que cubram uma certa região.

As picadas que aparecem em uma mapa digitalizado encontram-se marcadas. Desta forma, nas buscas por uma picada, é possível encontrar tanto o mapa vetorizado que a contém, quanto os mapas digitalizados nos quais a picada encontra-se marcada.

Para detalhes de como visualizar um mapa digitalizado, veja a página com os vídeos de ajuda.

Qualidade dos mapas

Os mapas digitalizados que aparecem no site são antigos, muitos do Século 19. Da mesma forma, as fontes para criação dos mapas vetorizados (mapas e registros de terras) são igualmente antigas. 

Naquela época, a topografia usava ferramentas rudimentares e o seus resultados não eram muito precisos. Apesar de haver alguns mapas que são impressionantemente fiéis à realidade, se considerarmos a época em que else foram confeccionados, muitos deles fornecem apenas uma localização aproximada dos objetos exibidos (rios, prédios, lotes de terras, …).

Por outro lado, ao sobrepor um mapa antigo ao atual, nem sempre é possível fazer uma correspondência exata entre eles, até por falta de pontos de referência comuns entre os dois mapas.

Resumindo, os mapas servem para dar uma localização aproximada de picadas e lotes, e não têm a pretensão de ser precisos.

Históricos

Além dos mapas, o site também contém alguns históricos que documentam a evolução de colônias através de mapas. Na presente versão, o site contém históricos para as colônias de Santa Cruz e Maratá.

Ajuda

O funcionamento do aplicativo GeoColony é explicado através de alguns vídeos que estão na página de Ajuda.

Entrevista com os autores

O pessoal do grupo GenealogiaRS do Facebook realizou no dia 13/10/2020 uma entrevista online (live) com os autores. Ela pode ser vista através do link abaixo:

Como contribuir

Estou interessado em mapas adicionais aos já publicados ou em mapas com maior resolução do que os apresentados. Contribuições neste sentido são muito bem vindas. Por favor, faça contato através do meu email: carlos.heuser@gmail.com.

Responsável pelo site

Eu sou Carlos A Heuser, engenheiro, com mestrado e doutorado em Computação. Por mais de 40 anos, atuei na UFRGS, inicialmente como desenvolvedor de software e mais tarde como docente no Instituto de Informática.

Este site faz parte de um portal maior, no qual publico o resultado de minhas pesquisas genealógicas, que venho realizando desde o início dos anos 2.000.

Além disso, o portal contém informações sobre meus livros didáticos de Informática (Projeto de Banco de Dados, Banco de Dados Relacional), bem como sobre fotografia (meu site, site de minha esposa, Eliane Heuser).