Fontes

Para confeccionar os mapas foram consultadas as fontes listadas abaixo.

Fontes de dados cartográficos

  • http://www.esri.com
  • http://www.ibge.gov.br
  • 14 cartas planialtimétricas em escala 1:250.000. IBGE (digitalização CPRM; conversão coordenadas Licht, 2001)
  • Mario Sabattini (coord). La regione di colonizzazione italiana in Rio Grande do Sul. Consiglio Nazionale delle Ricerche, Centro di Ricerche per l’America Latina. 1:75.000. 2 mapas. Roma. 1975.
  • Ernst Müzell e Adalbert Jahn. Planta topográfica de uma parte do município de São Leopoldo. 1:75.000. 1870.
  • Planta cadastral parcial da Colônia Santa Cruz. 1:40.000, sem autor, sem data.
  • Prefeitura Municipal de Taquara. Planta do município de Taquara. Apresentado em observância ao Decreto 720 de 29 de Dezembro de 1944. Escala 1:200.000. 1946.
  • José Adriano Flesch. Planta do Município de Rolante. Lei nº 2527 de 12/12/1954. Escala 1:50.000. Aratinga. 20/03/1963.
  • Romano Piccoli. Mapa político, econômico e rodoviário do Município de Carlos Barbosa. 1961.
  • Plan de la Colonie Philippson. 1:40.000. s.d. apud Nicolaiewsky, E. Israelitas no Rio Grande do Sul. Porto Alegre. 1975.
  • Sem autor. Planta da Colônia Barão de Santo Ângelo. Escala 1:40.000. Sobradinho. 8/11/1948.
  • Planta Colônia do Mundo Novo. Terras colonizadas por Tristão José Monteiro, situadas no município de Taquara. Medição efetuada por Eugênio Dupasquier. Escala 1:31.600. se,m local.
  • José Adriano Flesch. Planta de Terras em domínio do Estado situadas no lugar denominado “Linha Henrique d’Avila” no 3º Districto do Município de Taquara. Escala 1:10.000. Planta nº 66. Gramado. 1º/11/1918.
  • Sem autor. Colônia Nova Petrópolis. Escala 1:40.000. Sem local. Sem data
  • Romano A Piccoli. Mapa econômico e rodoviário da Colônia Santa Clara. Escala 1:40.000. Sem local. Sem data.
  • Planta da Colônia de Santa Cruz, com as datas de terra confinantes levantada por João Martinho Buff Director da dita Colônia. Reduzida por Henrique Meyer. 
  • Mapa da Colônia de Santa Cruz. Escala 1:40.000. 1881. Planta nº 947. Cópia de Israel Azambuja. Directoria de Obras Públicas. Porto Alegre. 6/12/1890
  • M. Lopes. Planta da Colônia Silveira Martins. Planta nº 1106. Escala 1:40.000. Sobradinho. 11/02/1949.
  • José Ebling. Planta da Colônia Três Forquilhas – 2ª Secção Três Forquilhas. Município de Torres. Area total 26.166.000 m². Escala 1:10.000. 1944. Desenho por João Moravsky Itapeva 8/11/1945.
  • Colônia Três Forquilhas. Secção Três Forquilhas. Município de Osório. Secretaria da Agicultura, Indústria e Comércio. Diretoria de Terras e Colonização. Inspetoria de Terras do Leste. Escala 1:10.000. 1942.
  • Mario Machado Cardoso. Planta Geral do Vale do rio Três Forquilhas. Secretaria da Agicultura, Indústria e Comércio. Diretoria de Terras e Colonização. Inspetoria de Terras do Leste. Escala 1:50.000. Três Forquilhas 27/12/1941. Planta T 123.
  • Carlos Schwerin. Planta da Colônia Rio Pardense. Medida e demarcada pelo Agrimensor Carlos Schwerin. 1864-1865 augmentada 1873-1875. Núcleo colonial de Francisco Ant. Borges.

Fontes de dados cadastrais

  • Mario Sabattini (coord). La regione di colonizzazione italiana in Rio Grande do Sul. Gli insediamenti nelle aree rurali. Consiglio Nazionale delle Ricerche, Centro di Ricerche per l’America Latina. Cultura Cooperativa Editrice. Firenze. 1975.
  • Códice C-332 – Censo das Colônia Alemã de São Leopoldo. Daniel Hillebrand. 1848. Publicado na forma de livro: Povoadores Alemães do Rio Grande do Sul – 1847 – 1849, Otávio Augusto Boni Licht, Edições EST, Porto Alegre,  2005.
  • Rovílio Costa e Mário Gardelin. Os povoadores da Colônia Caxias. Porto Alegre: EST.
  • Códices AP062, AP062A, AP062B, C362, C363, F1213, F1220, F1221, F1223, F1224 (arquivos digitais cedidos pelo Arquivo Histórico do RS)
  • Códices C362, C363, C389, C385 e C390, apud Flores, H.A.H., Flores, M. Picada Café. Porto Alegre: Nova Dimensão. 1996