Mapas de Blumenau publicados

Conforme mencionado em postagens anteriores, o pesquisador Bruno Kadletz me passou vários mapas de colônias de Santa Catarina.

Entre eles, estavam os mapas da Colônia de Grão Pará, já carregados no site, conforme explicado na postagem correspondente.

Agora, terminei o geoprocessamento e carreguei no site os mapas referentes à Colônia de Blumenau, que igualmente me foram repassados por Bruno. Ele fez cópias em excelente resolução, o que permite um bom nível de aproximação (zoom) ao visualizar os mapas.

Foram publicados quatro mapas dessa região:

  • Blumenau – 1864
    Este mapa é de 1864, portanto, dos primeiros tempos da colônia.
    O mapa é bem menos preciso que o mapa de 1872. A parte mais a Oeste parece estar incorreta. 
    Além disso, tive dificuldades no georreferenciamento deste mapa. Os principais pontos de referência são os limites dos lote, já que as margens dos rios e arroios e as estradas podem ter se movido ao longo do tempo. Os lotes são difíceis de encontrar no mapa atual, pois a região é basicamente urbana ou então coberta de mata.
    Resumindo, o mapa não tem aspiração de ser preciso, servindo para uma localização aproximada dos lotes.
  • Blumenau – 1872
    Este mapa é mais recente (1872) que o precedente. Ele foi confeccionado pelo Eng. Emílio Odebrecht, o mesmo que fez o mapa de Grão Pará.
    O mapa é bem mais fiel à realidade. Me parece que consegui um georreferenciamento bem melhor que o do mapa precedente.
  • Blumenau – Cidade – 1864 e Blumenau – Cidade – 1872 são dois pequenos mapas detalhando a parte referente à cidade de Blumenau propriamente dita (chamada de Stadtplatz nos mapas). Estes dois mapas estavam inseridos dentro dos dois mapas precedentes.

Em todos os mapas de Blumenau, os lotes estão numerados mas não há nomes de proprietários. Proximamente, devo receber uma relação de proprietários e publicá-la no site. Quando isso ocorrer, farei uma nova postagem.

Uma curiosidade é que a numeração dos lotes é diferente nos dois mapas (de 1864 e de 1872). Como não pesquiso a região, não tenho uma explicação para o fato.

O vídeo a seguir apresenta os quatro mapas:

Taquara: dois novos mapas adicionados

Adicionei mais dois mapas digitalizados referentes à região próxima a Taquara, Rolante e São Francisco de Paula, que me foram passados por Otavio Boni Licht.

O mapa digitalizado Taquara – Nordeste abrange uma grande área entre as cidades de Taquara e São Francisco de Paula. Mostra grandes propriedades e os nomes de seus proprietários. Não são mostradas colônias. Pelos nomes de alguns proprietários, como Jacob Diefenthaeler e João Schmitt, estima-se que o mapa seja do período entre 1860 e 1890.

Já o mapa Mundo Novo refere-se à Colônia de Santa Maria do Mundo Novo, situada à margens do rio Santa Maria (hoje Rio Paranhana). O mapa não está datado. A colônia foi habitada a partir de 1846. O mapa deve ser de data posterior, visto que os lotes já estão demarcados. Não contém nomes de proprietários.

Juntamente com estes dois mapas, temos um conjunto de cinco mapas cobrindo esta região:

  • O mapa vetorizado de Taquara que cobre toda a região. Trata-se de uma mapa menos preciso. Em grande parte, contém apenas os contornos de grandes picadas e propriedades. Apenas algumas poucas picadas vão até o nível de lote. Entretanto, como o GeoColony, o software que exibe os mapas, permite mostrar de forma combinada um mapa digitalizado e um mapa vetorizado, este mapa pode ser útil como um guia para visualizar um mapa digitalizado da mesma região. Eu explico isto em um vídeo que está linkado ao final desta postagem.
  • O mapa digitalizado Taquara 1946 igualmente cobre toda região. Foi ele que serviu de base para a confecção do mapa vetorizado mencionado no item anterior. Como foi georrefenciado mais recentemente, parece mais fiel à realidade.
  • O mapa digitalizado de Rolante cobre a parte Leste da região toda. Este mapa é muito detalhado e preciso e contém lotes com respectiva numeração.

O vídeo a seguir descreve o relacionamento entre estes cinco mapas e explica como navegar entre eles.

Novo mapa digitalizado: Município de Rolante

Acabei de fazer o georreferenciamento e a publicação de mais um mapa digitalizado, desta vez cobrindo o Município de Rolante, RS.

O mapa mostra lotes coloniais com sua numeração, mas não contém proprietários, exceto para áreas maiores.

Este é um dos muitos mapas digitalizados que me foram passados por Otavio Licht. A cópia que Otavio criou é de alta resolução, o que permite bons níveis de aproximação para a visualização de detalhes.

Pela legenda, o mapa foi confeccionado para cumprir um requisito de uma lei de 1954. Assim, deve ser de alguma data posterior. Aliás, no site encontram-se vários mapas desta época. Provavelmente, houve alguma legislação obrigando os municípios a mapearem sua área rural.

Excetuando a região Sudeste do mapa, ele parece ser bastante fiel à realidade. Para fazer o georreferenciamento tomei como base os rios e arroios, que naquela região, próxima da Serrra do Mar, correm em vales profundos e têm poucas modificações ao longo dos tempos.

No vídeo abaixo, apresento o mapa e comento estes detalhes:

Santa Maria da Soledade e Sul de Garibaldi

No site já tínhamos os mapas vetorizados de Santa Maria da Soledade e de Garibaldi.

Agora, recebemos de Otavio Licht dois mapas digitalizados que cobrem parte desta região. Estes mapas foram georreferenciados e estão sendo disponibilizados:

  • O mapa Santa Maria de Soledade é um mapa de 1875 da Colônia com esse nome. Ela havia sido criada em 1857 por Montravel, Silveiro & Cia, empresa de colonização fundada por Montravel (à vezes referenciado com o título de Conde), Israel Soares de Barcelos, Dionísio de Oliveira Silveiro e João Coelho Barreto. Como pode ser visto no mapa, a Colônia era dividida em quatro picadas, cada uma com o nome de um dos sócios.
    Este mapa é bastante fiel à realidade. Os lotes estão numerados, mas não contém os nomes dos proprietários. Aliás, segundo uma lista de códices relativos à imigração encontrados no Arquivo Histórico do RS, o Códice C313 seria aquele que contém uma relação de proprietários desta colônia.
  • O outro mapa cobre a parte Sul da Colônia Garibaldi e faz interseção com o mapa de Santa Maria da Soledade. Este mapa não está datado e parece ser bem mais recente, pois contém o nome de várias localidades que foram surgindo depois do estabelecimento da colônia.
    São mostradas as picadas Azevedo de Castro, Boa Vista, Estrada Geral (ou Estrada Nova, como aparece neste mapa) e Santa Clara.
    Assim como o mapa anterior, contém apenas números de lotes, sem identificação de proprietários.

No vídeo abaixo, explico os mapas e mostro sua relação com os mapas vetorizados que cobrem a mesma região.

Estamos entrando em Santa Catarina

Com a colabaração de Bruno Kadletz, um pesquisador de Santa Catarina, estamos iniciando a publicação de mapas de colônias daquele estado.

A primeira colônia que estamos cobrindo é a Colônia de Grão Pará, situada a Oeste de Tubarão. Para esta colônia, temos dois mapas:

  • Grão Pará – Geral: Este mapa dá uma visão geral da região ao redor da colônia propriamente dita. Serve para mostrar onde se situava a colônia e as estradas que a ela levavam.
  • Grão Pará – Lotes: Mapa muito preciso e detalhado que mostra os lotes coloniais e os respectivos proprietários. Estima-se que reflita a situação do ano de 1890 aproximadamente.

O vídeo abaixo faz uma breve introdução a estes mapas (como sempre no site, recomenda-se visualizar o vídeo em tela cheia).

Obrigado ao Bruno pela contribuição!

Mapa atualizado

O mapa digitalizado Provinzial Kolonie Santa Cruz foi atualizado.

A versão deste mapa que eu tinha no sítio havia sido obtida na Web, em baixa resolução e em preto&branco. Agora, recebi do colega Bruno Kadletz de Santa Catarina uma nova versão, esta em alta resolução e colorida. O mapa é impreciso, mas não deixa de ser importante por duas razões:

  • O mapa mostra as colônias que faziam limite com a Colônia de Santa Cruz e que pertenciam à Rio Pardo, Candelária e Venâncio Aires.
  • Para várias picadas, o mapa mostra não só o nome em Português como também o nome em Alemão.

O vídeo abaixo mostra as principais características deste mapa. Como em todos vídeos neste sítio, provavelmente é uma boa idéia assistí-los em tela cheia.

Live sobre o sítio

O pessoal do grupo GenealogiaRS do Facebook organizou uma live com os autores deste sítio (Otávio Licht, Lauri Krug e Carlos A. Heuser). A entrevista aconteceu no dia 13 de outubro de 2020, às 20:00. Nesta entrevista, tratamos da evolução do sítio, desde a criação dos mapas originais por Otávio Licht, até a versão atual.

Agradecemos ao administrador do grupo, Nélio Schmidt, pelo convite para participar da série de lives do grupo, bem como ao Ricardo Porcher, que fez a retaguarda técnica.

A live está disponível no canal de Youtube do GenealogiaRS e pode ser acessada através do link abaixo.

Sítio completamente reformulado

Em 17 de setembro de 2020, uma nova versão do sítio foi lançada. Nesta nova versão não somente a aparência do sítio foi completamente reformulada, mas também houve acréscimos ao conteúdo.

  • Além dos lotes e proprietários levantados pelo pesquisador Otavio Boni Licht que formavam o conteúdo da versão original do site, temos agora o mapa vetorizado da Colônia Maratá. Em um trabalho minucioso a partir de escrituras e outros documentos, o colega Lauri Valdemar Krug construiu um mapa desta colônia e levantou os seus primeiros proprietários. Ele segue trabalhando, devendo aumentar a cobertura da região ao Norte de Montenegro.
  • Foi feito um reprocessamento dos dados originais fornecidos por Otavio Licht. Agora estão sendo publicadas as fontes por ele usadas para cada um dos 15.210 registros de posse de lotes coloniais.
  • Adicionalmente, estamos publicando mapas digitalizados, isto é, mapas antigos que foram sobrepostos ao mapa da Google. Nesta versão temos 19 mapas que cobrem várias regiões e épocas.
  • O software GeoColony que exibe os mapas foi completamente reescrito e agora oferece novas formas de pesquisa e navegação.
  • Além disso, as URLs (os links que levam aos elementos dos mapas) agora são definitivos. Com isto, é possível compartilhar as páginas e colônias, picadas, lotes e proprietários.
  • No site, encontram-se vários vídeos curtos que explicam como usar o GeoColony. Para quem está acessando o site pela primeira vez, provavelmente é uma boa idéia assistí-los.
  • Além dos mapas, o sítio contém históricos que explicam a evolução de colônias através de mapas. Nesta versão, há um histórico da Colônia de Santa Cruz e outro da Colônia Maratá.